terça-feira, 17 de março de 2009

Imigrantes (4ª Parte)

IMIGRANTES CHINESES


Os chineses entraram, oficialmente, em São Paulo em 15 de agosto de 1900 e eram em número de 107 imigrantes; todavia, no século XIX, já era grande a intenção de substituir a mão-de-obra escrava pelo trabalho chinês. Pode-se imaginar as imensas dificuldades para esses imigrantes inseridos em uma cultura e região completamente diferentes e distantes de sua terra. Estima-se que pelo menos 4 mil chineses entraram no país no período colonial. De todos os imigrantes, os chineses foram aqueles que mais sofreram com a vinda para o Brasil, uma vez que, na cultura chinesa daquele período, o chinês que deixasse seu país perdia sua tradição e o direito de enterrar seus próprios pais. Como acontecia com os escravos, alguns chineses se suicidavam, imaginando a marginalização que sofreriam numa volta, se houvesse, a seu país. Hoje vivem no Brasil cerca de 200 mil chineses e descendentes, dos quais um número superior a 130 mil moram em São Paulo, particularmente no bairro do Cambuci.
Bule do único serviço armoriado feito na China especialmente para o Brasil: o de chá e café com as armas do jovem Império e a inscrição Viva / a / Independência / do Brasil, oferecido a Pedro I por "um grupo de patriotas".
Os primeiros imigrantes chineses vieram para desenvolver o cultivo do chá em São Paulo e trabalhar na implantação de ferrovia no Rio de Janeiro, capital do país na época. Já em 1810, Portugal organizava em sua colônia de Macau a vinda dos primeiros chineses para o país.A primeira entrada oficial de chineses em São Paulo ocorreu o 15 de Agosto de 1900. Eram 107 pessoas que, viajando no vapor Malange, procedente de Lisboa, desembarcou no Rio de Janeiro sendo conduzido em seguida para a Hospedaria de Imigrantes, na cidade de São Paulo.Mas, o grande fluxo da imigração chinesa de deu a partir da década 50. Os principais motivos dessa migração foram as guerras que estavam ocorrendo na China e a falta de alimentos no País. Os dois principais problemas enfrentados pelos imigrantes mais antigos, foram, em primeiro lugar, a dificuldade em aprender o português e, em segundo, a dificuldade de conseguir emprego. Eles se aplicavam em aprender a língua, pelo menos o mínimo para se comunicar com os brasileiros e arranjar trabalho. As contribuições da comunidade chinesa em São Paulo são inúmeras. Além dos restaurantes típicos, eles trouxeram a técnica da acupuntura, as artes marciais, horóscopo chinês,contribuição no campo da medicina e incorporaram os fogos de artifício em nossa cultura entre tantas outras. Encontramos chineses comandando pastelarias, os que operam pequenas lavanderias familiares outra marca registrada que na imagem popular caracteriza os imigrantes vindos da China. Estima-se que atualmente vivem no Brasil cerca de 200 mil chineses e descendentes, dos quais um número superior a 130 mil moram em São Paulo.
DEPOIMENTOS
Os dois principais problemas enfrentados pelos imigrantes mais antigos, foram, em primeiro lugar, a dificuldade em aprender o português e, em segundo, a dificuldade de conseguir emprego. Segundo Keung, eles se aplicavam am aprender a língua, pelo menos o mínimo para se comunicar com os brasileiros e arranjar trabalho. E ele sabe bem do que fala, pois chegou ao país em 1958, com apenas três anos de idade. Veio de navio com a mãe e o irmão mais velho para encontrar o pai, que chegou antes.
“Foi uma viagem estressante, de 45 dias, mais ou menos. Cresci praticamente como brasileiro. Viemos do Porto de Santos direto para São Paulo e, desde então, morei com minha família na capital. Acho até que foi por causa dessa dificuldade inicial que os imigrantes chineses começaram a formar associações entre eles e trabalhar em comércios pequenos. Depois fundaram sociedades em pequenos negócios, como as famosas pastelarias chinesas a partir da década de 50”, contou.
Os descendentes mais novos dos imigrantes chineses se sentem totalmente integrados ao Brasil e a São Paulo. Keung, que também realiza atividades com jovens descendentes na Associação Cultural Chinesa, destaca, entretanto, que a cultura chinesa os fascina.
“A gente percebe que existe uma separação. O pessoal mais novo está totalmente integrado, estuda por conta própria – independente da orientação dos pais –tem vontade própria e procura uma profissão que interessa realmente a eles. Mas, quando estudam um pouco a história dos pais, dos avós, a gente sente que percebem o valor da cultura das gerações anteriores. Quando visitam a China, a gente sente que a emoção deles é grande, de ver as coisas que fazem parte da cultura dos pais e dos avós”, disse.
As contribuições da comunidade chinesa em São Paulo são inúmeras. Além dos restaurantes típicos, eles trouxeram a técnica da acupuntura, as artes marciais, o horóscopo chinês e muitas outras.
RELIGIÃO
Os chineses buscam a espiritualidade não importando-se como, e todos conseguiram manter sua sabedoria e perseverança, seguindo a grande luz de sua Cultura Nacional. Hoje, o Templo Quan Inn do Brasil continua em construção, e desejamos expressar nossa profunda gratidão a todos que beneficiaram a grande realização, os vários planejamentos e os múltiplos donativos recebidos.
O
Templo Quan Inn do Brasil é uma evidência que expressa a cultura chinesa e representa a esperança de dias melhores para todos que participam deste importante evento, bem como, para seus descendentes e toda humanidade.

Mais Informações...


Seguidores