quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Kátia Stocco Smole e as Inteligências Múltiplas

Após inúmeros debates sobre Teoria das Inteligências Múltiplas, Kátia Stocco Smole[i], afirma que “A escola dá pouco espaço para o aluno pensar” e relata que “um dos campos mais recentes que se abrem na pedagogia é a compreensão da importância do brincar para a formação das habilidades cognitivas das crianças... o brincar permite o desenvolvimento integral da criança e abre espaço para um trabalho educativo que abrange a formação de valores bem como de um vasto campo de habilidades”. Ela faz tais afirmações graças a Teoria das Inteligências Múltiplas que foi desenvolvida por Howard Gardner2 e sua equipe da Universidade de Harvard quando, nos anos 80, que ao pesquisar o cérebro e pacientes com lesões cerebrais, percebeu que o que se chama de "inteligência" não se refere apenas à capacidade de entender alguma coisa, mas também à criatividade e à compreensão, descobriu e propôs que o ser humano teria não uma ou duas, mas várias inteligências, relacionadas a habilidades específicas que iam da montagem de blocos à música, à pintura e ao autoconhecimento. Todos os seres humanos possuem todas as inteligências, só que em diferentes graus de desenvolvimento.
Gardner atesta que os indivíduos possuem habilidades de questionar e procurar respostas usando todas as inteligências (Lógico-matemática, Lingüística, Espacial, Musical, Físico-cinestésica, Intrapessoal, Interpessoal, Naturalista), A idéia central de sua proposta é a de que a inteligência compõe-se de competências inter-relacionadas, algumas das quais antigamente eram considerados dons, talentos ou virtudes.
No que se refere à educação centrada na criança, Gardner levanta pontos importantes que sugerem a necessidade da individualização. Um deles diz respeito ao fato de que, se os indivíduos têm perfis cognitivos tão diferentes uns dos outros, as escolas deveriam, ao invés de oferecer uma educação padronizada, tentar garantir que cada um recebesse a educação que favorecesse o seu potencial individual.

[i] É doutora em educação na área de Ciências e Matemática pela USP, assessora de importantes escolas públicas e particulares de São Paulo, consultora de Matemática dos Parâmetros Curriculares do Ensino Médio e autora de diversos livros didáticos, coordenadora geral do grupo Mathema, uma equipe de pesquisa e assessoria na área de Matemática que vem atuando em escolas de vários estados, em projetos junto a secretarias estaduais de educação e em diversas secretarias municipais brasileiras e do MEC. Reconhecida como uma das maiores especialistas em Inteligências Múltiplas do país – inclusive possui autoria de vídeo de mesmo nome – Kátia Smole aborda com cuidado e precisão as implicações educacionais referentes a essa questão.
2 Psicólogo, norte-americano da Universidade de Harvard. Que em 1983 conclui um manuscrito "As Estruturas da Mente" que buscava ultrapassar a noção comum de inteligência, como um potencial que cada ser humano possuía em maior ou menor extensão e que este potencial pudesse ser medido por instrumentos verbais padronizados como teste de Q.I. Baseando-se no conceito de que inteligência é a capacidade de resolver problemas ou de criar produtos que sejam valorizados dentro de um ou mais cenários culturais e tomando como referência científica evidências biológicas e antropológicas... Demonstrou que as demais faculdades, também são produto de processos mentais. Afirmou que “inteligência” é uma capacidade de resolver problemas e elaborar produtos de valor num ambiente cultural ou comunitário.

Seguidores